Mulheres têm duas vezes mais chance de ter câncer de pulmão

Farmacêutico Márcio Antoniassi

Nesta terça-feira (27), Dia Mundial de Combate ao Câncer, oncologista ressalta que tumor é o que mais mata no Brasil e está crescendo entre as mulheres.

mulher fumanteMulheres têm duas vezes mais chance de desenvolver câncer de pulmão, de acordo com o oncologista Marcelo Cruz, colaborador do Oncoguia. O dado será um temas debatidos no 2º Fórum Temático Oncoguia sobre Câncer de Pulmão realizado nesta terça-feira (27) em São Paulo. Ele explica que, apesar da incidência desse tipo de tumor ser menor do que o câncer de mama em mulheres, é o que mais mata e está crescendo entre elas. “A mulher que fuma tem maior risco de desenvolver câncer de pulmão do que o homem que fuma. Ainda não se sabe precisamente a causa, mas elas são mais suscetíveis à doença”, afirma.

O câncer de pulmão é o mais frequente e letal do mundo e o que mais mata no Brasil. No país…

Ver o post original 667 mais palavras

O Plenário É Soberano

Letras Livres

Na Câmara Municipal de Natal, nesta terça (4), vereadores confundiram até eles mesmos. Emenda sobre isenção de pagamento de idosos a partir dos 60 anos faz bancada de oposição jogar um contra o outro contra a opinião pública.

O projeto da prefeitura diz que, na licitação, as empresas não cobrarão mais dos idosos em dez anos. A emenda do vereador Sandro Pimentel (PSOL) diz que, em até cinco anos, a prefeitura tem que dar a gratuidade para os idosos a partir de 60 anos. Já a emenda da vereadora Ana Paula (esposa do ex-vereador Júlio Protásio), do PSDC, quer a gratuidade de imediato.

De imediato a Prefeitura do Natal já disse que não tem como fazer sem aumentar a tarifa, tendo em vista que quem paga a passagem inteira arca com todas as gratuidades.

Fato é que nessa discussão, a vereadora Ana Paula disse que votar na emenda de Sandro…

Ver o post original 80 mais palavras

Estudo mostra que 23% dos jovens brasileiros não trabalham nem estudam

ALÉM DE ECONOMIA

Cerca de 23% dos jovens brasileiros não trabalham nem estudam, um dos maiores percentuais entre os países da região da América Latina e do Caribe, segundo pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgada na segunda-feira (3) e que teve apoio operacional do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), vinculado às Nações Unidas.

O estudo do IPEA faz parte de uma pesquisa regional intitulada “Millennials na América Latina e no Caribe: trabalhar ou estudar”, que entrevistou mais de 15 mil jovens entre 15 e 24 anos, em nove países da América Latina e do Caribe — Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Haiti, México, Paraguai, Peru e Uruguai.

A pesquisa refuta a ideia de que esses jovens sejam improdutivos, destacando que 31% deles, principalmente homens, estão à procura de trabalho, e mais da metade, 64%, dedicam-se a trabalhos de cuidado doméstico e familiar, o que ocorre…

Ver o post original 451 mais palavras