Como saber a profissão certa que você deve seguir

Olá,

Como saber a profissão certa quando existem inúmeras possibilidades de carreira? Saiba que você não está sozinho nessa. A maioria dos estudantes sofre com essa dúvida que pode ser um divisor de água na carreira futura.

O último ano do ensino médio pode trazer muitas indagações para os estudantes, e não poderia ser diferente, afinal, o futuro profissional depende da escolha certa, que na maioria das vezes não é uma tarefa fácil.

Ainda há um longo caminho de estudos pela frente, o estudante terá gastos com cursos e especializações que serão focadas na profissão escolhida. Imagine se o estudante escolher algo que não se identifica e se arrepender depois? Haverá gastos excessivos e investimentos inválidos, sem contar a perda de tempo.

Mas como saber a profissão certa? Será que há um passo a passo a seguir? Quais as melhores dicas? Neste artigo, você encontrará todas as respostas que procura. Acompanhe a leitura!

como_saber_a_profissao_certa

Quando as datas das inscrições para vestibulares estão próximas é o momento de já estar decidido sobre qual profissão seguir. Enquanto algumas pessoas já crescem sabendo o que pretendem fazer após os estudos, outras têm mais dificuldades em se identificar com alguma área.

O primeiro momento para descobrir qual profissão seguir é o de conhecimento pessoal. Você já se perguntou quais são seus interesses e quais são seus objetivos profissionais? Onde você quer chegar? Qual cargo pretende ter no futuro?

Tudo isso será base para você criar seu mapa profissional, seu plano de carreira e tentar descobrir quais são suas vocações. E quando falamos em vocações, falamos em ter as aptidões e habilidades necessárias para seguir tal profissão.

Não adianta pensar em seguir a carreira de psicologia, por exemplo, se você não tem paciência para ouvir outras pessoas. Consegue perceber como seu perfil influencia diretamente na escolha certa?

Existem várias formas de saber qual profissão é a ideal para você, mas a partir do momento em que você coloca tudo no papel e traça seus objetivos, fica mais fácil identificar como saber a profissão certa.

Perfil Vs profissão

Outra questão comum que aparece quando os estudantes estão prestes a realizar um vestibular é se identificar com várias áreas. Se isso acontece com você, é preciso conhecer de maneira aprofundada seu perfil e relacionar com as possibilidades de carreira.

importância de ter o perfil ideal para uma profissão vai além de gostar do que faz. Seu perfil irá determinar se você leva jeito para desempenhar as atribuições que a profissão demanda.

A razão para isso é simples. Quando uma pessoa tem habilidades e aptidões certas para determinada profissão, ela possui mais confiança e autoestima para dar o seu melhor. Consequentemente terá mais sucesso na carreira com potencial de crescimento sempre.

Então saber qual é o seu perfil significa ser bem-sucedido no futuro. As atividades demandadas por uma profissão ocupam boa parte de nossas vidas. Imagine só passar tanto tempo assim exercendo uma função que você não gosta e não leva jeito?

Aí você deve estar se perguntando: Por que eu escolheria uma área que não gosto? As tendências de profissões são extremamente atrativas para os estudantes que pretendem ingressar com sucesso no mercado de trabalho.

Exatamente por isso é que algumas áreas podem mascarar suas principais dificuldades. Isso quer dizer que o estudante pode ficar tão entusiasmado com uma profissão que permite crescimento, que acha que conseguirá se desenvolver ao longo do tempo, mesmo não tendo o perfil que a área pede.

Você já pode adivinhar que esse estudante não terá um bom desempenho na função, pois não terá habilidades suficientes para exercer as principais funções. Isso resulta em desmotivação, onde ele acaba não gostando mais da profissão que escolheu.

Como identificar o seu perfil profissional?

Um dos meios mais simples de reconhecer o seu perfil profissional é o autoconhecimento. Liste quais são suas habilidades: você é bom em matemática? Você prefere escrever do que falar em público? Você tem facilidade em liderar pessoas? Você gosta da habilidade de criação? Você é um bom observador? Você gosta de estar sempre aprendendo?

Por meio dessas respostas, você além de traçar o seu perfil, poderá se identificar melhor com as empresas que deseja trabalhar.

Liste suas atitudes para traçar seu perfil profissional

As atitudes são reflexos das nossas habilidades, gostos e preferências. Isso significa que dependendo da sua atitude para exercer certa tarefa, você terá sucesso ou não futuramente.

A forma com que você lida com as suas obrigações influenciará no seu crescimento profissional e pessoal.

Você consegue cumprir prazos? Qual é sua atitude para fazer com que isso aconteça? Você consegue alcançar todo objetivo em que se propõe? Qual a sua atitude pra fazer com que eles se realizem?

Nessa etapa é interessante que você avalie tanto suas atitudes no meio profissional quanto no pessoal. Atitudes que você tem quando à sua família, amigos e tarefas cotidianas também fazem parte dessa análise.

Conheça o cenário das profissões e empresas

O próximo passo para conhecer seu perfil profissional é conhecer quais são as empresas que podem ser oportunidades para você. Nessa etapa, você irá relacionar todas as suas habilidades, gostos, preferências e atitudes com o que a empresa representa.

Liste primeiramente aquelas profissões e empresas que você já conhece e ter certa afinidade. Contudo, pesquise também empresas e profissões que ainda não conhece para ampliar o leque de opções.

Depois que listar todas essas escolhas, anote ao lado de cada profissão as habilidades e aptidões que você possui para exercer melhor as funções. A partir disso, você já pode começar a pesquisar por cursos e especializações necessárias para cada área.

Viu só como traçar o perfil ideal é uma das primeiras coisas que você deverá fazer se busca como saber a profissão certa? Além disso, há informações importantes que você precisa saber antes de escolher a sua profissão.

5 Coisas que você precisa saber antes de escolher sua profissão

1 – Cuidado com as opiniões

Geralmente quem tem dúvidas sobre qual profissão seguir, começa a fazer uma breve pesquisa com opiniões de amigos ou familiares. Porém, essa é uma prática perigosa que pode colocar em jogo seu futuro profissional.

As influências de pessoas, por mais que sejam próximas a nós, não são compatíveis com o que realmente temos afinidade. Por mais que essa decisão seja difícil, você é a melhor pessoa para saber o que é ideal ou não para sua carreira.

2 – Salário ideal

Por mais que essa questão seja fundamental para se escolher uma profissão, talvez não seja o ideal se apegar a esse quesito. Isso porque, você não terá o risco de se entusiasmar demais e escolher a profissão por causa do salário.

Um bom exemplo é a carreira de medicina. Por mais que tenha um dos melhores salários, se a pessoa não tiver habilidades e aptidões necessárias não será bem-sucedido. O salário deverá ser uma consequência e não o ponto de partida para escolher a profissão certa para você. Lembre-se disso!

3 – Oportunidades de mercado

Não deixe de descartar as possibilidades e tendências de mercado, mas não coloque isso como ponto fundamental para basear suas escolhas. É a mesma história da questão salarial.

Contudo, mesmo que sua escolha esteja em crise no mercado ou você encontre muita competitividade, não deixe que isso abale sua decisão. No mercado, sempre há lugar para profissionais capacitados e de qualidade.

4 – Observe as vantagens e desvantagens de cada opção

Outra coisa que você precisa levar em conta é os benefícios e dificuldades que cada profissão traz. Exatamente por isso é que um estudo aprofundado sobre todas as opções é válido para determinar a escolha certa.

Talvez sua aptidão não sobreponha uma certa dificuldade que a profissão demanda, aí você não conseguirá focar em crescimento por causa da desmotivação que isso pode gerar. São detalhes que fazem toda a diferença para o seu desenvolvimento profissional.

5 – Faça um teste vocacional

Por fim, na maioria das vezes o autoconhecimento e as pesquisas sobre profissões podem não ajudar. O último recurso que você pode ter para descobrir qual é a profissão ideal para você é fazendo um teste vocacional.

O teste vocacional consiste em reunir todas as suas aptidões, habilidades e atitudes por meio de perguntas interativas. É basicamente uma avaliação que você pode fazer online e, na maioria das vezes, gratuitamente.

Temos um artigo completo aqui que fala sobre os 20 melhores testes vocacionais para te ajudar a escolher sua profissão. Dá uma olhadinha depois!

Quando se trata da escolha profissional, a reflexão sobre tudo isso que falamos aqui é de extrema importância. Como você pôde perceber não é somente um teste vocacional que irá definir seu futuro profissional. Mais do que isso, você é o principal responsável por tornar seu sonho uma realidade bem-sucedida.

Esperamos ter te ajudado na dúvida sobre como saber a profissão certa. Se atente a essas dicas e encontrará a profissão ideal para você!

Até breve!

Anúncios

Como elaborar um currículo sem experiência de trabalho

Algo fundamental para conseguir uma oportunidade de trabalho é o currículo. Ele é uma forma de profissionais se candidatarem às vagas de trabalho.  Fazer um currículo não é tarefa fácil, ainda mais se você não tem experiência e logo tem dúvidas como: “o que incluir no currículo”?

Muita calma que nós vamos ajudar você. Nem sempre é fácil conseguir um emprego sem bagagem profissional, mas ingressar no mercado de trabalho pode ser muito mais fácil por meio de um bom currículo. E se você está se perguntando: “Como convencer o recrutador que você é o candidato ideal para a vaga”? Leia este texto. Ele foi feito para você!

Qual o primeiro passo?

curriculo_sem_experiencia_curriculo_modelos_de_curriculo

Bom, você sabia que  preparar o currículo de maneira eficiente pode ser a chave para o sucesso? Mesmo sem experiência de trabalho? A gente explica como. Primeiro não fique desesperado. Há maneiras de contornar o espaço em branco no campo “experiência” do currículo, valorizando sua formação educacional, e capacitações.

Mas antes de tudo, seja verdadeiro ao montar o seu currículo. Nada de mentir e colocar informações incorretas.

Compreenda que sem experiência, fica difícil conseguir um emprego, e sem emprego fica ainda mais difícil adquirir experiência. Mas não é impossível, pois todos profissionais tiveram a sua primeira oportunidade.

Mantenha o foco para a área de trabalho que você quer. Sendo assim, não há diferença de currículo com experiência e sem. Só que no campo da experiência você sempre deve ressaltar seu objetivo profissional. Faça uma descrição das atividades que você participa ou participou, como Grêmio estudantil, trabalho em ONG’s, entre outras coisas. Tente explicar o que era feito em cada atividade. Ou até mesmo se realizou um intercâmbio.

Mesmo que seja um desafio buscar o primeiro emprego há formas de ressaltar o seu currículo, sem mentir, claro.  Algumas experiências como ter feito um bom estágio, por exemplo, ou ter participado de muitas atividades extracurriculares podem ser um ótimo começo.

6 Dicas para elaborar um currículo sem experiência

  • Primeira coisa é você deixar os seus contatos visíveis no currículo, para facilitar a comunicação entre o recrutador e você. É importante colocar mais de três formas de contato (telefone, telefone para recados, celular, e-mail).
  • Muita atenção com erros de ortografia e gramática. Caso tenha dúvidas, peça ajuda. Evite utilizar abreviaturas, pois podem ser difíceis de reconhecer. O melhor é usar a palavra inteira e colocar a abreviatura entre parênteses.
  • Assim que você tem o foco em quais vagas quer concorrer, busque também se capacitar nestas áreas. Logo fica mais fácil definir seu objetivo e preparar seu currículo de forma adequada às necessidades do mercado.
  • Se for enviar o currículo por e-mail, uma dica é a colocar o texto no corpo da mensagem e, em último caso, como arquivo anexado. Muitas empresas, por medida de segurança, não abrem arquivos enviados por remetentes desconhecidos.
  • Outra dica é utilizar as palavras-chaves para descrever suas habilidades e realizações. Além de causar impacto, muitas empresas estão cadastrando os currículos em banco de dados internos e as palavras certas podem facilitar a sua inclusão nas buscas.
  • Quer surpreender de forma positiva o recrutador? Você pode até fazer os currículos personalizados. Só que é importante pesquisar a respeito da empresa, busque informações sobre o cargo, analise quais competências e quais realizações de sua carreira podem ser exploradas de forma a destacar você dos concorrentes.

Dicas valiosas

Uma outra dica é caprichar no resumo de qualificações, descrevendo da melhor forma as suas competências, habilidades e aptidões para mostrar ao selecionador como você poderá contribuir com a empresa.

Sendo assim no campo experiência que é onde assusta a maioria das pessoas que não tiveram experiência profissional e estão procurando o primeiro emprego você pode colocar atribuições que já fez. Neste caso não significa que não tenha nenhuma experiência. Pense bem: um Intercâmbio, empresa júnior, iniciação científica, trabalhos informais e voluntários também são experiências.

Entendeu? O voluntário é muito bem visto pelas empresas assim como experiência em empresa júnior da faculdade. Os famosos “bicos” como ajudar na empresa de amigos e familiares também podem ser mencionados.

Atenção: evite alguns erros que podem lhe prejudicar ainda mais

– Nunca, absolutamente nunca invente experiência. Isso é facilmente identificado pelo recrutador. E mais cedo ou tarde eles ficam sabendo e isso apenas complica a sua candidatura a vaga;

– Nunca coloque número de documentos, como CPF, RG. Somente se for solicitado,  o que é muito difícil;

– Fotos (só quando solicitado pela empresa);

– Nome de parentes, filho e esposa;

– Titulo. Lembre-se, é seu cartão de visitas e não uma redação.

– Jamais inclua informações falsas.

– Conheça bem a empresa onde quer trabalhar e ajuste as informações de acordo com o perfil do lugar.

– Não exagere no volume de informação. Para quem não tem experiência, um currículo de uma página é o suficiente.

– O uso de elementos gráficos (fotos, bordas, efeitos em fontes) pode atrapalhar mais do que ajudar.

– Preste bastante atenção aos erros de português (concordância, grafia). Eles podem causar má impressão. Indica-se neste caso até mostrar para um amigo o seu olhar.

Como montar um currículo?

Então já que falamos tanto dele, vamos lhe ajudar a montar. Fique atento a essas informações

1 – Dados Pessoais

Esta deve ser a primeira informação do currículo. Coloque, em ordem, no cabeçalho da página:

  • Seu nome completo
  • Seu E-mail
  • Seus telefones de contato (fixo e celular)
  • Endereço do seu perfil em redes profissionais, como o LinkedIn (se tiver). Evite incluir perfis pessoais (Facebook, Twitter, Instagram, etc.)
  • Cidade onde mora
  • Idade (se preferir)

2 – Área de atuação

A área de atuação deve comunicar, em duas ou três palavras, seu campo de interesse. Essa informação deve estar relacionada à vaga pretendida. Por exemplo, se você quer atuar na área de administração, escreva apenas “Administração de empresa”. Não coloque mais de uma área de atuação no mesmo currículo.

3 – Habilidades e competências técnicas

Liste todas as suas habilidades que sejam úteis à vaga. Cuide para não fazer uma lista muito grande, mesmo que os itens pareçam importantes.

4 – Experiência

Neste caso, como você não chegou a trabalhar em nenhuma empresa, aproveite e coloque experiências como voluntariadas, intercâmbio. Não minta experiência! Ou ainda pode ser a seguintes sugestão que foi passada por muitos consultores que entendem desse assunto:

“Profissional em início de carreira, com interesse em atuar com [citar atividades do cargo de seu interesse]. Habilidade para [citar habilidades exigidas no cargo] e conhecimentos em [você pode citar conhecimento em informática aqui]”.

5 – Formação

Descreva seu curso de graduação usando os seguintes dados. Caso não tenha, coloque até onde tem o seu nível de escolaridade.

  • Nome do Curso
  • Instituição
  • Local
  • Período do curso (se já está concluído ou ainda em conclusão).

Em outro tópico pode colocar o conhecimento de línguas, se o tiver, capacitações, cursos.

O que evitar?

Alguns erros podem ser fatais e já colocar seu CV na lanterna da lista. Veja o que não fazer:

  • Currículo longo demais: cuide para não fazer um currículo longo demais. Para o primeiro emprego, uma página está boa.
  • Erros de português: Ter um currículo bem-escrito é o mínimo! Revise-o com cuidado antes de enviar, passe um corretor ortográfico e lembre-se de usar o registro formal da língua portuguesa.
  • Mentiras: Lembrando então  que o  candidato deve sempre ficar atento ao tamanho do currículo e deve tomar cuidado para não colocar informações desnecessárias. Na realidade o recrutador tem uma pilha de currículos na mesa e os muito longos mal são vistos. Por isso, atente para esse cuidado.

O que pode alavancar o seu currículo?

Fique atento a algumas questões que podem alavancar o seu currículo como:

● Projetos paralelos;

● Atividade empreendedora;

● Voluntariado;

● Experiência internacional;

● Perfil no LinkedIn;

● Trabalho informal;

E se você por acaso busca emprego em várias áreas ou para vários cargos, a dica é: faça vários currículos! Altere seu currículo sempre que for preciso. O importante é enviar um currículo aderente à vaga para qual você está se candidatando.

Esperamos que com essas dicas simples você consiga otimizar o seu currículo e se dar bem nas entrevistas de emprego. Lembre-se sempre de manter a perseverança, confiança nas suas habilidades e persistir na busca dos seus objetivos que você estará no caminho certo para o sucesso.

Claro que aqueles que procuram o primeiro emprego e ainda não possuem experiência se sentem mais inseguros. Só que nesta hora a insegurança não adianta em nada.  E os recrutadores vão saber que você está iniciando a sua carreira profissional, e por isso já sabem que também não podem sair exigindo muita coisa.

É claro que como você não tem essa experiência não adianta se candidatar para uma vaga que exige muita experiência. Você vai começar com o básico, naquelas funções que pode aprender. Por exemplo, as vagas de estágio são uma ótima oportunidade.

Até logo!

Adelpha Figueiredo, a primeira mulher Bibliotecária brasileira

Adelpha Silva Rodrigues de Figueiredo, nasceu em Sorocaba em 20 de setembro de 1894— São Paulo, e faleceu em 3 de agosto de 1966, aos 72 anos, foi uma das primeiras bibliotecárias brasileiras. Começou sua vida profissional como professora da Escola Americana de São Paulo, porém seu interesse pela organização de acervos a levou a fazer o curso de Biblioteconomia na Universidade de Columbia, em Nova Iorque.

Ela também foi a primeira diretora da Biblioteca George Alexander da Universidade Mackenzie, em 1926. Primeira diretora da Biblioteca Pública Municipal Mário de Andrade, em 1926, também introduziu novas técnicas para a classificação do material, registro do acervo, arranjo dos catálogos e a inovação do livre acesso dos leitores às estantes.

Foi umas das fundadoras e primeiras professoras, junto com Rubens Borba de Morais do curso de Biblioteconomia da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESP-SP)

Reconhecida como uma das pioneiras intelectuais da Biblioteconomia, junto com outros como, Lídia de Queirós Sambaqui, Bernadete Sinay Neves, Laura Russo, Zila Mamede, Rubens Borba de Moraes, Edson Nery da Fonseca, Antônio Caetano Dias que deram os primeiros passos na concepção da Biblioteconomia no Brasil.

Em sua homenagem, seu nome foi dado a uma biblioteca pública instalada pela Prefeitura de São Paulo à rua Carlos de Campos esquina com avenida Pedroso da Silveira, no bairro do Pari, na capital paulista, sendo que no mesmo terreno, onde hoje existe um asilo da municipalidade ao lado da biblioteca, anteriormente estava instalada a quadra da “Escola de Samba Colorado do Brás”, a uma rua no bairro Chácara do Encosto, na mesma cidade, e ao diretório acadêmico da Biblioteconomia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, com a sigla DAAF de Diretório Acadêmico Adelpha Figueiredo.

Deixou a obra Catalogação e classificação. São Paulo: Escola de Bibliotheconomia, 1937. (Apostila mimeografada do curso de biblioteconomia da Biblioteca Municipal Mário de Andrade, que seria transferido para a FESP.)

 

Fonte:

http://infogente-biblio.blogspot.com.br/2010/05/adelpha-figueiredo-primeira-mulher.html

Wikipédia, a enciclopédia livre.